Blog


You are here: The Worldwide Womb Blessing® > Blog > Inglês > Covid-19 auto-confinamento e bem-estar durante o ciclo menstrual: Mãe fase ovulatória

Covid-19 auto-confinamento e bem-estar durante o ciclo menstrual: Mãe fase ovulatória

This post is also available in: en hr fr it pt-br pt-pt es

Print Friendly, PDF & Email

De Miranda Gray, autora e professora de mulheres

Leia também o artigo introdutório.

O nosso modo de vida tem um impacto directo nas energias arquetípicas do nosso ciclo – na nossa própria Donzela, Mãe, Feiticeira e Anciã (Crone). Com a atual crise pandémica, o nosso modo de vida mudou repentinamente – e isto significa que as energias das fases do nosso ciclo menstrual também vão mudar para responder à nossa mudança de vida e aos stresses acrescidos que estamos a experienciar. Assim, para um bem-estar mental e físico, precisamos estar à escuta do nosso corpo e dos nossos Arquétipos e encontrar novas formas de abraçá-los e exprimi-los para trazer harmonia e equilíbrio. Até podemos achar que ao escutar mais as suas necessidades e como desejamos exprimir-nos, começamos a viver mais alinhadas com o nosso ciclo natural e o nosso ciclo responde positivamente! 

Abaixo encontrará algumas ideias simples baseadas na informação dos meus livros “O Despertar da Energia Feminina” e ‘The Optimized Woman’. Estas ideias seguem experiências comuns de cada um dos Arquétipos, mas a sua experiência pode ser diferente. Escute o seu corpo – e aprenda! 😊

Vejamos então o que se pode fazer para ir ao encontro das necessidades dos Arquétipos da nossa Donzela e da nossa Mãe nas suas fases enquanto vivemos de uma forma restrita e em auto-confinamento, para que possamos manter um equilíbrio durante a fase em vez de responder a partir de uma abordagem stressada de “luta ou fuga” quando esta abordagem stressada nem sempre é necessária ou benéfica.

Equilibrar a Mãe em período de auto-confinamento

O Arquétipo Mãe no modo “lutar ou fugir” tende a definir-se fazendo muitas coisas pelos outros o que a ajuda a aliviar os seus medos. Isto pode fazê-la parecer muito mandona e muito controladora por recear pela segurança da sua família e dos seus amigos.

O Arquétipo Mãe desequilibrado manter-se-á ocupado fazendo demasiado pelos outros, assumindo cada vez mais responsabilidades sem estar ciente dos seus próprios níveis de energia e das suas necessidades tendo o potencial muito forte para se esgotar. Um curto período de Arquétipo Mãe superativo pode ser essencial para uma situação de crise mas se houver uma perturbação a longo prazo o Arquétipo Mãe pode não ter energia para continuar a dar livremente, de uma maneira que a mantenha energizada e em equilíbrio. Especialmente isolada com a família, a Mãe recebe pedidos extras do seu tempo e energia para ocupar os seus filhos e talvez também cuide dos pais idosos.

Para mulheres sem parceiros ou que não têm família em casa, as restrições de isolamento social podem ser muito difíceis para o Arquétipo Mãe. Também é importante que o Arquétipo Mãe se sinta parte de uma comunidade e seja capaz de alcançar outras pessoas para criar novos relacionamentos e manter os existentes. Onde o intelecto é importante para a Donzela, os sentimentos e o toque são importantes para a Mãe, e a restrição do ‘não toque’ pode ser muito desafiadora.

As energias e os dons da Mãe são a consciência emocional, os relacionamentos, o cuidar dos outros, a comunicação, o contato social e comunidade e o ensinar.

Para ajudar o nosso Arquétipo Mãe a ficar em equilíbrio, podemos:
  • Contactar e oferecer ajuda a outras pessoas – SE  ainda não temos responsabilidades de cuidar – ou assumir novos papéis de cuidar, com a consciência de que as nossas energias são limitadas e de que é melhor fazer poucas coisas bem do que tentar ajudar todos e não atender às suas necessidades.
  • Participar num grupo online para “conhecer” novas pessoas e talvez sentir-se parte de uma comunidade local que está a gerir e a cuidar desta crise. (Não participe de comunidades negativas, caso contrário, ficará sobrecarregada com a sensação de tentar manter e apoiar todos). É óbvio que a Mãe precisa entrar em contato com amigos e familiares mas talvez não tenha consciência da sua necessidade da comunidade.
  • Ensinar ou partilhar conhecimentos. Não interessa se não somos professoras profissionais, ajudar os outros a crescer partilhando o nosso conhecimento é uma expressão gratificante das energias da Mãe.
  • Começar a ensinar os filhos se não houver atividades ou aulas organizadas online. Talvez contactar outros pais para se envolverem e começarem aulas online.
  • Encontrar maneiras tácteis novas e diferentes para expressar amor e sentir-se amada. Se tivermos um parceiro ou família livre de vírus, teremos a oportunidade de tocar e ser tocadas como uma expressão de amor. Mas para as mulheres que vivem sozinhas, as restrições ao toque podem ser muito difíceis. Um animal de estimação pode dar-nos a oportunidade de abraçar e até mesmo um brinquedo macio ou um pedaço de tecido macio que envolvemos firmemente em torno de nós mesmas num ‘abraço’, pode dar o feedback táctil que os nossos cérebros precisam.
  • Expressar a nossa criatividade prática na culinária – preparando refeições que vão mais longe, usando os ingredientes limitados que temos para criar algo novo, preparando pratos com os nossos filhos como meio de ensiná-los a cozinhar.
  • Oferecer tempo para os outros partilharem as suas experiências e preocupações. Durante a fase da Mãe, somos emocionalmente fortes e por isso podemos estar disponíveis para os outros quando precisam falar. 
  • Encontrar uma meditação ou técnica e enviar cura para o Mundo para sentir que estamos a ajudar todos nesta crise. Ver a Meditação de Partilha na área de  download (descarregar) de www.wombblessing.com acessível depois do registo.

Preocupe-se mais em equilibrar os outros arquétipos femininos de Donzela, Feiticeira, Anciã leia o artigo “Introdução ao auto-isolamento Covid-19 e ao bem-estar mental e físico no seu ciclo menstrual”.

This post is also available in: en hr fr it pt-br pt-pt es