Blog

Bem-vindas do trabalho da alma do Ano da Anciã!


Print Friendly, PDF & Email

The Crone Year 2019

Para muitas de nós, as energias da Feiticeira do último ano foram desafiantes e disruptivas – especialmente nos relacionamentos – mas todas as disputas, as separações, e os argumentos experienciados não foram sobre a situação, as pessoas, mas tudo sobre NÓS – as nossas inseguranças, falta de centragem, falta de autoestima e aceitação. É dito que o que não conseguimos aceitar no outro são padrões que não conseguimos aceitar em nós.

O Ano da Anciã é o ano das energias suaves, de descanso e restauração, mas há um despertar profundo que acontece na escuridão se estiver disposta a abrir-se e deixar-se fluir.

O presente da Anciã:
PERDÃO.

O Ano da Anciã é o ano de deixar todas as emoções, sentimentos, julgamentos e culpa criados pelas nossas disputas. É sobre ter empatia de ambos os lados, sem julgamentos ou emoções, libertar os repetidos padrões de pensamentos para a escuridão e não os trazer de volta à luz da nossa mente.

O presente da Anciã:
Nunca julga.

Nunca podemos saber todo o passado de padrões e pensamentos de uma pessoa, então nunca estamos habilitados verdadeiramente a julgar o seu comportamento. É o permitir que nos traz o presente do Perdão da Anciã.

O nosso Tempo da Anciã:

Pense em como o nosso tempo da Anciã (nossa menstruação). Não temos energia para lutar, para nos incomodar com os ferimentos e ameaças que pareciam tão importantes na nossa fase pré-menstrual / fase da Feiticeira. Nós não temos o foco e a motivação para fazer alterações, e nós certamente não temos a energia para nos chatearmos emocionalmente. Naturalmente dizemos “seja o que for,” e apagamos, e deixamos ir.

O presente da Anciã:
O que seja libertado para a escuridão fica na escuridão –
a não ser, claro, que o recreemos de novo na luz dos nossos pensamentos.

Cada mês, através dos nossos ciclos, temos a oportunidade na menstruação de reflectir sobre uma situação sem ficar triste. Somos empoderadas a ver a verdade, com a empatia de ambos os lados, sem as nossas emoções e ego a nublar a nossa percepção. E temos também a poderosa oportunidade de deixar as nossas emoções antigas na escuridão. Todas nós temos este presente, mas o que a maioria de nós faz? Quando começamos a entrar na luz da pré-ovulação/ fase da Donzela, nós reconstruimos os nossos padrões de pensamento de novo e o nosso ego e emoções recreando raiva, sofrimento e julgamento. Perdemos a resolução que encontramos na fase da Anciã, e depois perdemos a habilidade de construir uma nova relação baseada no amor e perdão. Nesta situação ninguém ganha, e ambos os lados continuam a sofrer e sentem dor e sofrimento.

Aceitar a Cura profunda no ano da Anciã:

Este ano temos o ano inteiro influenciado pelas energias da Anciã.

Este é verdadeiramente um maravilhoso ANO DE PERDÃO. É o ano de deixar ir os mais profundos e antigos sofrimentos que dominam os nossos comportamentos e a visão do mundo, procurar resolução interna dos nossos conflitos e mudar ao nível da alma para que possamos deixar o passado para trás e possamos criar novas relações suportivas. O trabalho que fizermos sobre o perdão no ano da Anciã será suportado pela própria, então nós perdoamos com facilidade e mudamos sem esforço.

Então qual é o trabalho do ano da Anciã?

Descansar na escuridão e…

  1. Ver os padrões que criaram o problema.
  2. Aceitar-nos e a situação sem julgamento.
  3. Saber que as emoções associadas serão suportadas pela Anciã.
  4. Perdoar-nos, reconhecer que nos portamos da única forma que nos conseguíamos portar naquela altura.
  5. Perdoar os outros, reconhecendo que se portaram da única forma que conseguiam baseados nos seus padrões.
  6. Alcançar as pessoas, sem expectativa de perdão, para construção de uma nova relação.
  7. Se a oferta for recusada, dar a relação à Anciã para cura.

O resultado é que caminhamos na vida mais leves e que somos libertados de reviver os padrões. Quantas vezes nos afastamos de uma relação só porque encontramos o mesmo padrão já repetido com alguém? Quando perdoamos e esquecemos, nós voltamos a chamar o padrão às nossas vidas.

Então, neste ano da Anciã, descansar e reflectir nas longas disputas – nas pessoas das quais desconectamos, nas pessoas que nos magoaram de alguma forma, e nas pessoas que magoamos. Transforme-se no perdão da Anciã e veja a transformação reflectida no mundo à nossa volta.